1.4.15

Obras do Balneário Romano iniciam preparação na próxima semana
TRABALHOS PODERÃO ESTAR CONCLUÍDOS
NO FINAL DO ANO
Tal como a Câmara de São Pedro do Sul havia anunciado publicamente, a recuperação do Balneário Romano estava dependente da entrega por parte do município dos projectos de especialidade da obra. A entrega do documento ao Ministério da Cultura, que ocorreu há cerca de um ano, despoletou o processo de requalificação do edifício que se encontrava já em avançado estado de degradação.

Os trabalhos de preparação deverão iniciar-se já na próxima semana. Não é alheia a este facto a recente visita ao local dos deputados socialistas pelo distrito, acompanhados do Presidente da Câmara. Vítor Figueiredo estaria já ao corrente da decisão do Ministério da Cultura e o pedido de ajuda e de pressão sob o Governo que formulou na ocasião aos visitantes, não podia ter colhido sucesso mais rápido e eficaz. Um "número" político de mestre.

Esta recuperação, com a consequente abertura do edifício ao público, constituirá um forte atractivo e  uma mais valia turística não só para as Termas de São Pedro do Sul como para o concelho e toda a região. Mesmo tendo em conta o avultado investimento da Câmara num projecto que pertenceria ao Ministério da Cultura, regista-se a rapidez da decisão desta entidade, que se deseja...

...seja a mesma na execução!
Mário Almeida
AS CONTAS DA TERMALISTUR E O CONTABILISTA

30.3.15

Presidente da Câmara de Vouzela não quer ver o comboio a passar 
APITÓ COMBOIO...
SÓ SE PARAR EM VOUZELA 
Em tempos idos, o deputado socialista José Junqueiro, numa "troca de galhardetes" com o anterior executivo vouzelense do PSD, apelidou Vouzela como a terra do "apitó comboio". Referia-se, na altura, ao comboio turístico que passeia por aquela vila. Mas Rui Ladeira, actual Presidente, quer ir mais longe e pretende ouvir outro apito: o do comboio de alta velocidade que ligará - quem sabe, se ainda neste século - Aveiro a Vilar Formoso. Mas só o consentirá se tiver (pelo menos) uma  paragem no seu concelho. A única dificuldade é que o comboio é de alta velocidade e, partindo de Aveiro, para poder parar em Vouzela o maquinista só conseguirá ir até à 4.ª velocidade. Se meter a 5.ª, já não travará a tempo. 

Na inauguração em Vouzela do posto de distribuição CTT (de São Pedro do Sul), Ladeira aproveitou a presença do Secretário de Estado dos Transportes, alertando-o para os prejuízos agrícolas que o concelho sofreu até agora com o atravessamento do IP5 e, mais tarde, da A25. Por isso, mais prejuízos para a agricultura vouzelense, sem contrapartidas... jamais! O comboio poderá atravessar o concelho, mas terá de parar obrigatoriamente em Vouzela para servir os passageiros e as mercadorias de toda a região de Lafões . 

Uma atitude altruísta de Rui Ladeira, que permite aos vizinhos de São Pedro do Sul e Oliveira de Frades servirem-se da estação de Vouzela. Só há um pequeno senão. Já se comenta que o Presidente da Câmara de Vouzela terá consultado o Presidente de Lisboa sobre a forma de criar uma taxa turística ferroviária a cobrar aos vizinhos que "aterrem" na estação de Vouzela.

Amigos, amigos... negócios à parte!
Daniel Martins
O PROBLEMA DA RUA DIREITA

26.3.15

Painel de crónicas da Lafões passa a Bloco Central + 1
SAI BANDEIRA PINHO
ENTRA MÁRIO ALMEIDA
 
A saída de Bandeira Pinho do programa de comentário político transmitido diariamente na Rádio Lafões marca o fim da presença da crónica independente, melhor dito, de um independente nas crónicas. Pelo menos em termos de filiação partidária.

O programa fica agora entregue a cinco filiados: dois do PS (Daniel Martins e André Matias), dois do PSD (Ester Vargas e Mário Almeida) e um do BE  (Rui Costa). Uma espécie de Bloco Central+1, sendo que também este último é bloquista... mas de "esquerda". Mário Almeida, a nova aquisição da Lafões, foi líder parlamentar do PSD na Assembleia Municipal de São Pedro do Sul. No tempo do anterior executivo.

Mas, para lá da qualidade de filiados, todos eles comungam de uma outra característica ou pecado: têm tanto de filiados como de alheados em relação ás respectivas estruturas locais partidárias. Uns mais do que outros. Seja por contas do passado, seja por ambições de futuro.
 
Menos consensual será o posicionamento do painel em relação à maioria na Câmara Municipal. Por questões de estratégica imediata, adivinha-se um (des)alinhamento 5-1...
 
...até mais ver!

Ester Vargas
MEDIDA COMÉRCIO INVESTE

André Matias
DESPORTO

23.3.15

Reunião pública do executivo sampedrense realiza-se amanhã. A primeira após o duelo Vítor Figueiredo/Rogério Duarte, que levou ao abandono do Vereador
VÍDEO INÉDITO COM NOVOS PORMENORES 
DA CÉLEBRE REUNIÃO

20.3.15

Polémica dos lucros ou prejuízos da Termalistur chega ao fim
RUI COSTA DESCOBRE "O GATO"
A discussão sobre os lucros ou prejuízos da Termalistur estava já a agitar os meios académicos e financeiros e resultava da apresentação em PowerPoint das contas de 2014 feita pela administração da Termalistur. No documento apresentado, 2014 registava o maior lucro de sempre. Para realçar ainda mais o facto, foram "repescadas" as contas de 2013 registando o maior prejuízo de sempre. Curiosamente, aparecia no documento referente a 2013 o pagamento de IRC por parte da empresa. Um imposto sobre os lucros, que só é suposto acontecer quando se verificam... lucros!

Das várias teorias que se geraram houve mesmo quem concluísse que a Termalistur havia descoberto a fórmula exacta de o Governo aumentar a receita fiscal, baixando as taxas: em vez de tributar os lucros passar a tributar os prejuízos. Na actual situação financeira das empresas, a subida das receitas seria em flecha!
 
Afinal... havia outra! Na crónica de hoje, na Lafões, Rui Costa descobre "o gato". Segundo o cronista, o segredo da apresentação dos lucros de 2014 e dos prejuízos de 2013 é simples. Ás contas de 2013 foram retirados os subsídios à exploração e comparadas com as de 2014, que incluíam os subsídios à exploração. E assim do lucro se fez prejuízo e do prejuízo lucro, conforme a conveniência, mantendo as contas correctas.

 Mais fácil... que saltar à corda!


17.3.15

André Matias dá "nó cego" a Rui Costa ao propor transferir para a Assembleia Municipal a polémica sobre contas da Termalistur  
COMENTADOR ACUSA BANDEIRA PINHO
DE "LIMPAR O RABO AO PASSADO"
 
Lucro ou prejuízo no exercício da Termalistur em 2014 - eis a questão!

Para a Administração da empresa que explora as Termas de São Pedro do Sul, o exercício do passado ano apresenta um lucro de 145 mil Euros. Para Rui Costa e Bandeira Pinho, tais resultados positivos devem-se à manipulação de dados contabilísticos que encobrem o real prejuízo. A discussão iniciada nas crónicas da Lafões prolongou-se durante os últimos dias nas redes sociais, com análises para todos os gostos, o que obrigou o Presidente do Conselho de Administração da empresa a ripostar num comunicado à imprensa.

Na crónica de hoje na Lafões, André Matias, deputado municipal da bancada da maioria, veio tentar colocar um ponto de suspensão no assunto, propondo a transferência da discussão para a próxima Assembleia Municipal. Ofereceu-se para o efeito e convocou para o debate o Presidente da Termalistur e o Vereador financeiro da Câmara. Pela frente, sabe que terá apenas a oposição PSD, que até ao momento deixou passar ao lado o tema quente da actualidade política local. E os críticos não têm assento nesse órgão.
 
Bandeira Pinho utilizou na sua última crónica a metáfora infantil de "limpar o cu a meninos". A ver vamos o que se irá  passar na prometida discussão do assunto na Assembleia Municipal. Mas há uma outra metáfora que se pode desde já aplicar ao próprio e a Rui Costa: com a ausência forçada destes na discussão na Assembleia...

 Vão ficar... a "chuchar no dedo"!


16.3.15

Visita de uma assentada de três governantes a Vouzela causa embaraços políticos à Câmara de São Pedro do Sul
INAUGURAÇÃO DO POSTO DE DISTRIBUIÇÃO DOS CTT
OU A PEQUENA MALDADE DE RUI LADEIRA
 

A visita de três governantes ao concelho de Vouzela para a inauguração de obras emblemáticas para o concelho, provocou desconforto aos responsáveis autárquicos de São Pedro do Sul, que vêem ameaçada a luta pela centralidade de Lafões. Para agravar a situação, uma das obras a inaugurar decorre da recente deslocalização para Vouzela de um equipamento há muito sediado em São Pedro do Sul: o Centro de Distribuição dos CTT. O executivo sampedrense não entende tanto alarido e vê o gesto de Rui Ladeira como uma pequena maldade ou mesmo provocação.

Os restantes equipamentos envolvidos, esses sim, têm elevado potencial regional, tanto na área dos equipamentos turísticos e de lazer, como é o caso do circuito concelhio de BTT, inaugurado no fim-de-semana, e da zona industrial de Queirã, que pode vir a  servir toda a região. É Ladeira a marcar pontos pela batuta da região. E nesta luta por Lafões, já há quem aponte distribuição de pelouros: Vítor Figueiredo anuncia e Rui Ladeira inaugura.

...em Vouzela... tá claro!
Daniel Martins
REGENERAÇÃO DA ALDEIA DA PENA

Rui Costa
FERROVIA AVEIRO - VILAR FORMOSO

 

12.3.15

Rui Costa e Bandeira Pinho acusam Termalistur de camuflar e brincar com os números 
MELHOR LUCRO DE SEMPRE SERIA PREJUÍZO
SEM AUMENTO DOS SUBSÍDIOS À EXPLORAÇÃO 
Rui Costa levantou a "lebre" na crónica de sexta-feira passada na Rádio Lafões. Ontem, foi a vez de Bandeira Pinho corroborar o mesmo argumento no mesmo painel. Para Rui Costa, os resultados apresentados pela administração da Termalistur como os melhores de sempre poderão afinal não passar de uma "deliciosa brincadeira de números". O cronista questiona o milagre de passar de um prejuízo de 350 mil Euros no primeiro semestre, para um lucro de 145 mil Euros no segundo. E chega a uma conclusão: os subsídios à exploração em 2013 foram de 120 mil Euros, enquanto que em 2014 foram de 290 mil Euros. Ou seja, mais 170 mil Euros. E conclui: tendo sido apresentado um lucro de 155 mil Euros, se não fosse esse diferencial a Termalistur teria tido um prejuízo de 15 mil Euros.

Ontem foi a vez de Bandeira Pinho dedicar a crónica ao assunto. E vai mais longe, ao afirmar que tais subsídios só podem ter advindo da Câmara de São Pedro Sul, que acusa de, num golpe de rins, ter camuflado a verdade em parceria com a Termalistur.
 
O que um apelida de brincadeira de números o outro chama golpe de rins. Diferença pouca para fazer esquecer sintonias do passado. Ou, quem sabe...

...a fazer prever sintonias de futuro!
Ester Vargas
IGUALDADE DE GÉNERO

Bandeira Pinho
O GOLPE DE RINS DA TERMALISTUR



André Matias
A INCUBADORA DE EMPRESAS

9.3.15

Vice-Presidente justifica com impedimento legal, mas Presidente fala na vontade da maioria dos comerciantes e moradores
EXECUTIVO REPONDERA 
CIRCULAÇÃO DE TRÂNSITO NA RUA DIREITA 
Já se adivinhava. Na última reunião pública camarária, o assunto da circulação do trânsito na rua Direita voltou a ser debatido no período de antes da ordem do dia. O Vice-Presidente da Câmara, Pedro Mouro, tentou matar o assunto justificando o corte com um impedimento legal, resultante da candidatura ter sido aprovada nesses termos. Confrontado pela oposição que contrariou o argumento, falou então de impossibilidade imediata e não definitiva,
 
Vítor Figueiredo acabou por se distanciar do argumento de Pedro Mouro, utilizando um outro bem mais pragmático: "Ouvir as pessoas não significa atender a tudo o que é pedido". Defendeu que a situação não é pacífica entre os comerciantes e que o grosso dos moradores, que disse serem mais numerosos, está contra a circulação do trânsito.

Ao abandonar a tese do impedimento legal, retomando o argumento da vontade da maioria, a porta abre-se de novo à situação intermédia: a circulação com restrições. É uma questão de tempo. Não é previsível que Vítor Figueiredo resista muito mais a este autêntico cavalo de Tróia e aos respectivos "coices" nas redes sociais, que não têm poupado a maioria.

E há sempre solução para agradar a gregos e troianos... a tal que já vem do tempo de Salomão!
Daniel Martins
AFINAL... É VOUZELA!

5.3.15

Corporações vão manter-se cada qual no seu quartel
FUSÃO DE BOMBEIROS 
SÓ DAS DIRECÇÕES 
O processo de fusão dos Bombeiros Voluntários de São Pedro do Sul com o Corpo de Salvação Pública acabou em "águas de bacalhau". A única conclusão, após várias reuniões e plenários, é a de que será formada uma direcção de agrupamento composta por elementos das duas direcções, cujo Presidente será o dos Bombeiros de Salvação Pública, António Casais.

Entretanto, ambas as Corporações continuam sem comandante e os Bombeiros Voluntários continuam mesmo sem direcção eleita, na sequência da demissão da anterior. Funcionando como agrupamento, mas com os bombeiros distribuídos por dois quartéis, a missão do comandante Matos, um tropa na reserva que deverá assumir o comando conjunto, não se revela nada fácil.

Resta saber quais os ganhos operacionais e poupança financeira com a aplicação desta nova fórmula, com um agrupamento a funcionar desagrupado, a qual  não deixa de ser estranha. Comenta-se que os operacionais dos dois corpos de bombeiros estarão hoje abaixo da meia centena. Fala-se que em tempos já foram quase o dobro.

A única vantagem desta medida residirá no facto do responsável pelo agrupamento ser o actual Chefe de Gabinete do Presidente da Câmara. Mesmo que venham a faltar meios humanos na frente de combate...

...não faltará apoio na retaguarda!
Ester Vargas
PLANO ESTRATÉGICO

Bandeira Pinho
PRAÇA DA CANÇÃO


André Matias
TERMALISTUR

2.3.15

Presidente revoga apoio à construção da nova sede da Junta de Valadares
VÍTOR FIGUEIREDO E PEDRO SOARES
EM ROTA DE COLISÃO
Para aproveitar uma candidatura aprovada pela Segurança Social, o Centro Social de Valadares celebrou em 2013 um acordo com a Junta de Freguesia, prevendo o alargamento dos equipamentos do Centro Social para o espaço ocupado pela Junta cuja sede funcionava no mesmo edifício.

O dito acordo previa, em compensação, a construção de uma sede alternativa para a Junta de Freguesia. Tal como consta da acta aprovada na última reunião camarária, na reunião do executivo em Fevereiro de 2013 a Câmara Municipal de São Pedro do Sul aprovou, por unanimidade, um acordo com o Centro Social de Valadares prevendo a colaboração nos acabamentos da nova sede da Junta.

Essa deliberação foi agora revogada por despacho do Presidente da Câmara, o qual foi ratificado na primeira reunião do mês passado.

Tal revogação apanhou de surpresa o Centro Social e muito mais a Junta de Freguesia, que viu ir por água abaixo a construção da nova sede conforme previsto. O certo é que o Centro Social já procedeu ás obras de ampliação dos seus equipamentos, tendo aproveitado, nos termos do acordo celebrado com a Junta, o espaço onde funcionava a sua sede.

Uma bota difícil de descalçar. Por um lado, é pouco provável que Vítor Figueiredo recue na decisão de revogar a deliberação. Muito menos pode recuar Pedro Soares na cedência da sede, já que esta foi  ocupada pelo Centro Social.

Resumindo: com a revogação do apoio da Câmara, Vítor Figueiredo poupa na despesa. O Centro Social fica com o pássaro na mão e Pedro Soares com a sede de Junta a voar. Razões não lhe faltam para pensar no velho adágio popular:

Quem dá antes que morra...!
Daniel Martins
O TRANSTORNO DISSOCIATIVO DE PERSONALIDADE & TRATAMENTO NA 3ª PESSOA