20.5.15

Aposta eleitoral da Câmara sampedrense centrada em quatro freguesias
O PREÇO CERTO!
Carvalhais, Santa Cruz da Trapa, Sul e Serrazes representam mais de metade do eleitorado não urbano do concelho de São Pedro do Sul. Tendo como "praça forte" a União de Freguesias de São Pedro do Sul, Várzea e Baiões, o executivo socialista definiu como prioridade eleitoral o reforço de votação nas quatro freguesias mais populosas, situadas fora da área urbana.

O facto de as três primeiras estarem entregues a Presidentes de Junta PSD representa um desafio, mas não um obstáculo. Nas últimas autárquicas, com a excepção de Carvalhais, a votação do PS para a câmara, foi aí superior à do PSD. Para manter e reforçar o número de votos, Vítor Figueiredo vai aplicando a receita adequada: privilegiar o investimento nessas freguesias e "amaciar" os respectivos presidentes. Os contratos generosos de obras de milhões celebrados com essas Juntas PSD, a pretexto da transferência da água, faz parte do plano, sendo a prova provada de que em política tudo tem um certo preço. Ainda que algumas juntas socialistas tenham protestado, por entenderem que não é o preço certo.

Das restante freguesias, Valadares faz parte do rol do esquecimento. Manhouce, Pindelo, Pinho, Vila Maior e Figueiredo de Alva estão naturalmente conquistadas. As restantes, acabam por não ter expressão eleitoral determinante. E assim sendo, a tarefa está facilitada para o que resta do mandato. As recentes conquistas no reduto do adversário, aliadas à passividade estratégica do PSD, está a entusiasmar a "entourage" do Presidente. A dois anos das eleições, há mesmo alguma euforia nas hostes da maioria, onde já ecoa a antiga  máxima dos adeptos portistas:

...até os comemos!

18.5.15

Aproximação das legislativas abre corrida aos lugares de "deputadas". Ester Vargas e Raquel Ferreira em boa posição
LAFÕES NO FEMININO 
É uma hipótese que ganha corpo na disputa por Viseu. As eleições legislativas aproximam-se e com elas a corrida aos lugares de deputado à Assembleia da República. Cada lista de candidatos é obrigada a integrar, em cada três elementos, uma mulher. Também existe o vice-versa, mas a história ensina que a problemática é sempre versa e nunca vice . No distrito de Viseu, os únicos partidos que tradicionalmente elegem três ou mais deputados são o PSD e o PS. São por isso os únicos partidos em que o "género" assume relevância.

Nas últimas legislativas, Ester Vargas foi uma dos dois elementos femininos eleitos na lista PSD. A ex-Presidente da Assembleia Municipal de São Pedro do Sul deverá manter o lugar elegível, sendo  pouco provável o seu regresso à escola secundária de São Pedro do Sul. O mais provável é que continue a representar a região de Lafões na lista do PSD por Viseu.

A solução do PS distrital poderá ser idêntica. O preenchimento da quota feminina poderá coincidir com a representação da região de Lafões. Raquel Ferreira foi vereadora da Câmara Municipal de Vouzela e é diretora da escola secundária deste concelho. Figura incontornável do PS local, é figura consensual dentro da estrutura socialista. Ambas as soluções apresentam, no mínimo, uma vantagem acrescida nas respetivas listas. Preenchem a quota feminina e, simultaneamente, a quota de Lafões. Uma espécie de dois em um. 

Melhor dito, de uma... em cada três!

14.5.15

Câmara de São Pedro do Sul prepara ano eleitoral à moda de João Jardim
LANÇAMENTO EM 2016
INAUGURAÇÃO EM 2017
Grandes obras dão grandes inaugurações. Se as juntarmos em grandes anos, que são sempre os eleitorais, a receita fica completa. Uma receita que Alberto João Jardim não inventou, mas que sempre aproveitou exemplarmente. A programação tem de ser rigorosa e precisa, para que nada falhe. O actual executivo sampedrense aprendeu a lição política com o anterior e não lhe quer seguir as pisadas: executivo que oferece as inaugurações... ao "próximo", ou é burro ou não tem  arte... política, claro está. E é por isso que Vítor Figueiredo aposta tudo no calendário. 

As obras vão ser grandes e variadas. Parque da Cidade, Balneário Romano, Ciclovia, Requalificação da ligação Termas - São Pedro do Sul, Pólo Industrial de Pindelo, Multiusos de Santa Cruz da Trapa, despoluição do rio Vouga e ETAR's por todo o concelho, são exemplos de obras anunciadas e programadas para lançamento ou início no próximo ano. Resultado: 2017 vai ser um ano recheado de inaugurações um pouco por todo o concelho. Pura coincidência. Bem comprovada pelo provérbio alentejano que garante:

"Chuva em Novembro... Natal em Dezembro!"

É a prova de que as coincidências acontecem!
Ester Vargas
Referências Positivas

10.5.15

Presidente da Câmara de São Pedro do Sul na peugada da Ministra das Finanças
COFRES CHEIOS 
Maria Albuquerque, actual Ministra da Finanças, anunciou há pouco tempo que os cofres da nação estavam cheios. Nada de surpreendente, até porque já todos havíamos dado conta disso. Houve quem dissesse que as declarações da Ministra significavam unicamente que havíamos passado do país "de tanga" para o país "da tanga". Pura maldade. Até porque a reviravolta nas contas nacionais é muito idêntica à das da Câmara de São Pedro do Sul.

Antes da tomada de posse em 2013, Vítor Figueiredo garantia que a dívida camarária era de trinta milhões de Euros. No final desse ano, anunciava que a dívida já era de vinte e sete milhões. Passados dois meses, o Vice-Presidente Pedro Mouro afirmava que já haviam sido recuperados três milhões de Euros. Os anúncios foram-se sucedendo em contínuo, ao ritmo de milhões. De tal forma que, no final de 2014, Pedro Mouro já garantia perante a Assembleia Municipal que a dívida camarária havia sido reduzida para nove milhões de Euros.

Este "número" foi anunciado mais uma vez na última Assembleia Municipal destinada à aprovação das contas de 2014. Uma redução vertiginosa de vinte e sete milhões de Euros para nove milhões de Euros, no espaço de um ano.

Tomando como base o primeiro ano, no final do mandato a dívida estará limpa na totalidade. Mais, mantendo o mesmo ritmo, a autarquia atingirá no final um superavit de quarenta e cinco milhões de Euros. 

Diria António Guterres:

...é só fazer as contas! 

6.5.15

Proprietários da Discomer falham negociação "chinesa"
MERCADO MUNICIPAL PODERÁ SER ALTERNATIVA
Os proprietários da firma de distribuição alimentar Discomer obtiveram, há algum tempo, luz verde  da Câmara de São Pedro do Sul para a viabilização de um projecto urbanístico no espaço das actuais instalações da empresa. Situadas ao longo da "futura" ligação à estrada 227, o local ficará privilegiado, principalmente ao nível dos acessos. Talvez por isso, não foi difícil iniciar negociações com investidores chineses, os quais chegaram a apresentar projectos para a construção de um conjunto de equipamentos habitacionais e comerciais, nomeadamente na área da restauração e da medicina tradicional chinesa.

No entanto, as negociações acabaram por ficar pelo caminho. Sem alternativa no imediato, a solução poderá passar pelo aproveitamento do armazém para Mercado Municipal. A actual estrutura do edifício adapta-se facilmente a esse objectivo, tanto pelas dimensões como pela configuração. Acresce a centralidade das instalações e a cómoda fluência do trânsito, aproveitando a nova via de ligação e respectivos estacionamentos. Com a estrutura já existente, praticamente resta a montagem das bancas.

Tão simples que arrisca entrar em funcionamento ainda antes do novo arruamento!
Mário Almeida
OS FALSOS MILAGRES

André Matias
O VÍDEO PROMOCIONAL

Daniel Martins
O VÍDEO PROMOCIONAL


2.5.15

Ester Vargas, líder parlamentar do PSD, critica o tratamento dado aos vereadores da oposição na AM de 25 de Abril:
"ENCAIXOTADOS ATRÁS DO PALANQUE   
...COMO SE NÃO EXISTISSEM"
A líder parlamentar social democrata Ester Vargas manifestou publicamente, na última crónica da Rádio Lafões, a sua indignação pelo tratamento, que reputou de indigno, "presenteado" pela maioria aos vereadores da oposição. Refere que na última Assembleia Municipal de São Pedro do Sul, realizada a 25 de Abril em São Félix, estes vereadores foram "encaixotados atrás do palanque do orador, como se não existissem". Critica ainda a configuração desordenada da mesa, que diz não se poder justificar com a falta de condições, já que o espaço disponível permitia a sua disposição normal. As críticas estendem-se ao facto de não ser o Presidente da Assembleia Municipal, mas sim o Presidente da Câmara, a sentar-se no centro da mesa de trabalhos, dando a impressão que se tratava de uma reunião pública de Câmara e não de uma Assembleia Municipal.

A polémica do tratamento discriminatório dado aos vereadores da oposição nas Assembleias Municipais de São Pedro do Sul não é nova. No entanto, é a primeira vez que um responsável político da oposição se insurge publicamente contra esta situação caricata: vereadores da maioria acomodados à mesa e vereadores da oposição "acomodados" a um canto. 

Em conclusão: 41anos após o 25 de Abril, continuam a existir... os parentes pobres da democracia!

29.4.15

Contratos milionários com Juntas PSD na transferência da água revoltam Juntas PS
PRESIDENTE DE PINHO QUESTIONA SE AS TRANSFERÊNCIAS PARA A CÂMARA... SÃO DE POÇOS DE PETRÓLEO
 
Os contratos de transferência da exploração do abastecimento domiciliário de água das Juntas de Freguesia PSD para a Câmara de São Pedro do Sul valeram críticas azedas ao executivo municipal por parte dos Presidentes de Junta de São Pedro do Sul e Pinho, na última Assembleia Municipal. São duas das Juntas socialistas que não acreditam na elasticidade dos números e prevêem já a ausência de obras nas suas freguesias, por conta dos contratos de "milhões" celebrados com as Juntas PSD de Carvalhais, Santa Cruz da Trapa e Sul.

O último acordo, efectuado com a freguesia de Sul, resultou de um longo braço de ferro entre Pedro Maurício e Vítor Figueiredo, o qual viria a culminar num infindável rol de obras em todas as povoações da freguesia. Um contrato à beira do milhão de Euros. Caso as obras não se concretizem, no que resta deste mandato, a Câmara fica sujeita a uma indemnização de milhares de Euros mensais. Este facto levou o Presidente da Junta socialista de São Pedro do Sul, Paulino Almeida, a considerar o contrato com a Junta de Sul um verdadeiro Euromilhões, acumulado em várias semanas. Já o Presidente de Pinho, José Moita, eleito pelo mesmo partido, questionou mesmo o executivo municipal, se por tais valores a Junta de Sul não estaria transferir para a Câmara um poço de petróleo!

Já antes, Carvalhais e Santa Cruz da Trapa haviam conseguido contrapartidas semelhantes, provocando uma notória má disposição nas Juntas socialistas, que consideram que o executivo PS está a privilegiar freguesias PSD. Pior ainda, a única freguesia do PS envolvida na transferência da água - Pindelo dos Milagres - ficou aparentemente "de mãos a abanar".
 
Certo, certo é que Vítor Figueiredo não esqueceu o que aprendeu nos compêndios de História:
 
Ninguém alarga o seu reino... conquistando o próprio território!

Mário Almeida
NÃO ACREDITO EM MILAGRES

André Matias
A OPOSIÇÃO

27.4.15

Ligação à estrada 227 derrapa no prazo e deixa escapar o "corte de fita" no 25 de Abril
SEIS MESES DE PRAZO
QUATRO DE ATRASO
O concurso da ligação da Avenida Sá Carneiro, junto à antiga cadeia, à EN 227, foi lançado em 2014 pela Câmara Municipal de São Pedro do Sul. A obra viria a ser entregue em meados do ano transacto, com prazo de conclusão de 180 dias. A previsão da abertura deste troço ao público apontava para o final de 2014. Mas passou o Natal, a Páscoa e o Carnaval e a perspectiva do 25 de Abril mostrou-se curta no tempo para o corte da fita, tal como aconteceu recentemente em Manhouce. Uma tradição que remonta aos velhos tempos de Américo Tomás, retomada pelo Presidente da Câmara de São Pedro do Sul.
 
Nada de dramático. Diz o povo, e muito bem, que atrás de festa festa vem. Vítor Figueiredo poderá sempre aguardar por outra data festiva: o dia do Município, que se celebra no final de Junho. Será uma boa oportunidade para integrar a inauguração nos festejos e celebrar quatro efemérides de uma assentada: a comemoração da data histórica, a inauguração do troço e respectivos estacionamentos, o primeiro aniversário do lançamento da obra e  meio ano sobre o prazo de conclusão. Uma atitude de respeito pela data de maior relevo para o Município e que assim permitirá o corte não de uma mas de quatro fitas. Nada de cansativo, até porque o Presidente poderá reservar uma para cada elemento da maioria.
 
Uma atitude mais democrática que sempre marca a diferença em relação a velho Almirante, que ficou historicamente conhecido como,
 
...o Presidente "corta fitas"!
Daniel Martins
25 de Abril

23.4.15

Termalismo de São Pedro do Sul cresce no primeiro trimestre, mas enfrenta desafio
TERMAS DE CHAVES
REABRIRAM ESTE MÊS
As Termas de Chaves, as segundas mais frequentadas do país, estiveram encerradas durante o ano de 2014 para procederem a obras de requalificação do espaço termal. São as principais concorrentes das Termas sampedrenses, sem nunca terem posto em causa a sua liderança. O encerramento temporário provocou, naturalmente, a transição de muitos termalistas para São Pedro do Sul. Resta saber se transitória ou definitivamente e quantificar os números da mudança.

O assunto foi abordado na última reunião pública do executivo. Pedro Mouro, vereador do pelouro do termalismo, congratulou-se com o aumento da frequência termal em São Pedro do Sul no primeiro trimestre do ano. E referiu mesmo que, ao contrário do que alguns vaticinavam, a reabertura das Termas de Chaves não mataram as de São Pedro do Sul, que verificaram um aumento de 150 termalistas no primeiro trimestre. E falou verdade. Mesmo permitindo-se alterar o conceito de trimestre para quatro meses. É que as Termas de Chaves reabriram... em Abril. Mês que, supostamente, faz parte do segundo trimestre. 

É  caso para concluir:

...com a verdade me enganas!
Ester Vargas
PORTUGAL 2020

20.4.15

Socialistas acusam Secretário de Estado dos Transportes de ignorar São Pedro do Sul na requalificação da ligação Termas - Vouzela
VÍTOR FIGUEIREDO QUEIXA-SE DE NÃO SER RECEBIDO
RUI LADEIRA DIZ QUE ESTÁ TUDO TRATADO 
A requalificação do troço da EN 16, que liga as Termas a Vouzela, é o mote de protesto do Presidente da Câmara de São Pedro do Sul, que se queixa de há mais de um ano não ter resposta a um pedido de audiência ao Secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro. A afirmação do Presidente da Câmara de Vouzela de que já havia sido recebido pelo governante neste mandato, causou ainda maior calafrio nos socialistas locais.

Rui Ladeira afirmou ainda que rejeita a simples requalificação da via até agora prevista e pretende que a obra contemple passeios e ciclovia. Ainda assim, diz que tem outras prioridades, como seja a requalificação urbana da vila. Na última Assembleia Municipal, deu mesmo a entender que o assunto foi tratado na recente visita do Secretário de Estado dos Transportes a Vouzela para inaugurar o centro de distribuição dos CTT, que antes estava sediado em São Pedro do Sul. E disse mais: o Presidente da Câmara de São Pedro do Sul só não está ao corrente da situação porque não compareceu em Vouzela  à inauguração.    

São já os efeitos da mudança do Centro de distribuição dos CTT de São Pedro do Sul para Vouzela a fazerem-se sentir. Até o Presidente da Câmara local vai ser obrigado a deslocar-se ao concelho vizinho para saber "novas" da capital. Mas neste caso tem alternativa: aguardar pela próxima visita do Secretário de Estado Sérgio Monteiro a São Pedro do Sul. Bem vistas as coisas...

...já não falta assim tanto p'rá campanha eleitoral!...
Daniel Martins
A LOJA DO CIDADÃO