28.1.15

Unificação das corporações de bombeiros da cidade de São Pedro do Sul estará para breve
DEMISSÃO DOS DOIS COMANDOS 
ABRE PORTAS A UM COMANDANTE MUNICIPAL 
Eduardo Boloto e Mário Pereira

Eduardo Boloto, Comandante dos Bombeiros de Salvação Pública, e Mário Pereira, Comandante dos Voluntários, pediram a demissão quase em simultâneo. Não terá sido combinado, mas não passa despercebida a coincidência. De seguida, foi a vez da direcção dos Bombeiros Voluntários tomarem o mesmo rumo, demitindo-se das funções. Ficou, assim, aberto o caminho da unificação das duas corporações da cidade, o que para muitos será a única solução para a estabilização dos bombeiros sampedrenses.

Aproveitando o facto dos dois corpos de bombeiros estarem sem comandante, a Câmara Municipal prepara-se para nomear um comandante municipal que irá coordenar toda a actividade de protecção civil, incluindo os bombeiros do concelho. Uma solução que poderá colher apoio junto das duas corporações. Comenta-se que poderá ser alguém oriundo do meio militar. Uma vantagem certa, quanto mais não seja...

...por uma questão de psicologia!
Bandeira Pinho
CESTEIRO QUE FAZ UM CESTO FAZ UM CENTO

27.1.15

26.1.15

Câmara negoceia terreno para projecto já publicitado
FAZER PROJECTO
EM TERRENO ALHEIO
 
A Câmara Municipal de São Pedro do Sul encetou negociações com a família Moniz, proprietária dos terrenos que se estendem desde o novo Centro de Saúde até ao Lenteiro do Rio. O negócio, caso  venha a concluir-se, deverá envolver algumas centenas de milhares de Euros, se tomarmos em conta o preço pago recentemente pelos terrenos da ligação da Av. Sá Carneiro à 227.

Para lá da implantação da feira quinzenal, a Câmara pretende proceder ao alargamento do Lenteiro do Rio aproveitando o terreno contíguo. Este projecto, denominado Parque da Cidade, parece colher a aprovação geral. Já a implantação da feira naquele espaço tem suscitado vozes discordantes, nomeadamente por ficar situada ao lado do Centro de Saúde.

O projecto de aproveitamento destes terrenos foi publicitado já há algum tempo, assustando a conhecida família Moniz, de ascendência monárquica, que ficou convencida que a autarquia lhe havia confiscado a propriedade.

...traumas da primeira República, que ainda não se apagaram da memória!

22.1.15

Na guerra da água, Antonio Ferreira Gomes elogiou o actual executivo, criticando o anterior. António Carlos Figueiredo lembra que o executivo anterior já cessou funções em 2013
"SE TIVESSE NASCIDO UM ANÃO, JÁ TINHA CRESCIDO!" 
Na crónica da passada terça-feira na Lafões, António Ferreira Gomes elogiou a coragem do actual executivo por ter procedido à transferência da água das Juntas de Freguesia para a Câmara Municipal. Aproveitou a oportunidade para acusar o executivo anterior de não ter tido coragem para o fazer.

Na crónica de hoje, António Carlos Figueiredo, em jeito de resposta, lembra que a data limite para proceder à transferência era Janeiro de 2015. Refere que o actual executivo teve 14 meses para o fazer, mas preferiu protelar o assunto até à data limite. E, por isso, não terá conseguido negociar a tempo com todas as Juntas. Recorda a António Ferreira Gomes que o anterior executivo cessou funções em Outubro de há dois anos. Muito tempo, diz o cronista, que remata, agastado:
.
..."se tivesse nascido um anão, já tinha crescido!"

20.1.15

Troca de chefias causa mau estar na Câmara de São Pedro do Sul
SAI MAURO PEREIRA
ENTRA ANA CARRIÇO
 
O vereador do urbanismo da Câmara de São Pedro do Sul procedeu à troca de arquitectos na chefia do sector. Mauro Pereira, que desempenhou essas funções durante vários mandatos, foi agora afastado por Francisco Matos, que nomeou para o seu lugar Ana Carriço. Vítor Figueiredo ratificou o despacho do vereador, mas a decisão não terá sido pacífica dentro da maioria. Muito menos, dentro do serviço de urbanismo.

As razões não são por agora conhecidas, mas não falta quem relacione esta mudança com o tão badalado chumbo do posto de combustíveis na zona da Caldeiroa. Mauro Pereira era o responsável pelos serviços que deram parecer desfavorável à construção, contrariando assim o despacho favorável de Francisco Matos, à época vereador do pelouro. Esse facto poderá ter sido decisivo para que tenha agora trocado Mauro Pereira por uma arquitecta da sua confiança. Certezas não há, mas também há quem quem não acredite em coincidências.

"...pero que las hay, las hay!"
António Ferreira Gomes
GESTÃO DA ÁGUA PÚBLICA

17.1.15

Presidente da Câmara de São Pedro do Sul convoca vereadores do PSD... para o "banco"
TRÊS À MESA E UM NO BANCO
Na última Assembleia Municipal realizada em Serrazes, Vítor Figueiredo entrou em campo com três vereadores à mesa e um no banco. É o que testemunha a foto/reportagem da página do Município. Como titulares, Vítor Figueiredo convocou Pedro Mouro, Teresa Sobrinho e Francisco Matos. Os três de ar risonho e cotovelos confortavelmente apoiados. A deslado da mesa, o banco da oposição. Dos três vereadores PSD, apenas Rogério Duarte marca presença. Triste e solitário, aparenta um ar desconfortado de abandono, numa suplica murmurada:

"Tirem-me deste filme!"

A atitude descriminatória de Vítor Figueiredo não passou despercebida aos activistas sampedrenses  dos direitos humanos. As manifestações de indignação multiplicam-se e O CARICAS não pode deixar de comungar do gesto de solidariedade para com o vereador do PSD:



15.1.15

António Carlos Figueiredo
TRANSFERÊNCIA DE COMPETÊNCIAS OU DE ENCARGOS?

14.1.15

Guerra na transferência da água obriga Presidente da Junta de Sul a vestir de novo o fato de Rambo
A LUTA CONTINUA
 
Já não é a primeira vez. Nas últimas eleições autárquicas, o PS tentou impedir Zé Pedro de se recandidatar à Junta de Freguesia de Sul. O duelo arrastou-se com dureza até à porta do Tribunal Constitucional, que no final decretou a vitória do guerreiro. O episódio repete-se agora com outro "adversário" de ocasião: a Câmara de São Pedro do Sul. Ao contrário dos seus colegas de Carvalhais e Santa Cruz da Trapa, Zé Pedro não aceitou o acordo de transferência da água domiciliária para a  Câmara e encetou uma luta que para já não se prevê à porta de quem irá parar.

Na contagem de espingardas, o Presidente rebelde não pretende deixar os "fregueses" por mão alheia. Nas últimas semanas tem mantido reuniões permanentes nas várias povoações da freguesia, com a finalidade de preparar a trincheira.
 
Não vai ser fácil para o executivo encerrar o dossier da transferência da água. Até porque, conhecendo Zé Pedro, há uma coisa de  que  Vítor Figueiredo está consciente:

...este, vai- lhe dar "água pelas barbas"!
Bandeira Pinho
O CU E AS CALÇAS

António Ferreira Gomes
JE SUIS CHARLIE, AUSSI!

11.1.15

Negócio da água rende a Carvalhais e Santa Cruz da Trapa meio milhão em obras
HÁ HORAS FELIZES
 
O último reduto do PSD em São Pedro do Sul é constituído pelas três maiores freguesias do concelho: Santa Cruz da Trapa, Carvalhais e Sul. Por coincidência, estas três juntas viram-se envolvidas no processo da transferência para Câmara da rede de água domiciliária. Sendo o preço da água cobrado pela Câmara mais caro que o cobrado pelas juntas, os três Presidentes uniram-se desde o início opondo-se à mudança. Todas as reuniões realizadas com a Câmara revelaram-se infrutíferas.

Para ultrapassar a situação, Vítor Figueiredo socorreu-se da máxima dos antigos colonizadores: dividir para reinar. Uma táctica dispendiosa mas eficaz. Chamou Carvalhais e negociou directamente  um acordo chorudo, fazendo-o aprovar por unanimidade em reunião de Câmara. Tudo isto à revelia das  restantes juntas. Um tiro certeiro no "porta-aviões" social-democrata.

Santa Cruz da Trapa e Sul reagiram mas, antes do acordo seguir para a Assembleia Municipal, Vítor Figueiredo correu para Santa Cruz da Trapa para negociar um acordo ainda mais chorudo. Para Luís Teixeira... está claro! Sul ficou de fora. Chegados à votação na Assembleia, a bancada PSD reprovou o acordo, seguindo a junta de Sul. As Juntas PSD que subscreveram o acordo, votaram a favor, ao lado do PS. E "proquê"?
Fala-se em perto de meio milhão de Euros em obras.

Diria Fernando Pessoa:

...Tudo vale a pena,
se a verba não é pequena!

8.1.15

7.1.15

Bandeira Pinho "arrepiado" com a referência de Vítor Figueiredo a António Cardoso Moniz
O VERDADEIRO ARTISTA

Serafim Saudade, uma figura cómica criada por Herman José nos anos oitenta, orgulhava-se de ser  o verdadeiro artista, fazendo valer para tanto os seus dotes musicais. Na apresentação do livro "Revisitação", de António Cardoso Moniz, ocorrida no Balneário Rainha D. Amélia no início de Dezembro, o Presidente da Câmara de São Pedro do Sul referiu-se ao autor como "o verdadeiro artista", tantas são as artes que domina.

Bandeira Pinho mostra-se incomodado na crónica com o discurso presidencial proferido na ocasião. Anota que, por cada qualidade ou aptidão que desfolhava, Vítor Figueiredo mimoseava  o autor com o epíteto de "o verdadeiro artista". Tal facto, diz, levou-o a arrepiar-se...

...mas não a arrepiar caminho!

4.1.15

Presidente da Câmara de São Pedro do Sul oferece a cada funcionário um feriado natalício
DIA DE ANIVERSÁRIO
É DIA DE DESCANSO
 

Em todo o mundo existem dias feriados que servem para comemorar uma ocasião. Podem ser nacionais ou regionais, de índole religiosa ou civil. Feriados individuais não eram conhecidos. Pelo menos, até ao recente despacho do Presidente da Câmara de São Pedro do Sul.

De uma só penada, Vítor Figueiredo criou cerca de 500 feriados natalícios durante o ano de 2015. Um para cada trabalhador. É o que reza o despacho presidencial, que dispensa os funcionários municipais de comparecerem ao trabalho no seu dia de aniversário. E vai mais longe. Só quando coincida com dia útil. E há razão para tal. Vítor Figueiredo não quer confundir a sua oferta com a dádiva divina do domingo. Evita, assim, concorrer com a generosidade do Criador.

Até à era Vítor Figueiredo o mundo só conhecia um feriado natalício a 25 de Dezembro. O de Nosso Senhor Jesus Cristo. Doravante, o filho de Deus será acompanhado por 500 semelhantes. É que o despacho fundamenta o descanso com o direito dos funcionários a passarem o dia de aniversário em convívio familiar. Significa isto que, para cumprir a intenção, também os familiares comungam do direito ao mesmo feriado. O único senão é que o despacho só vale para os funcionários da Câmara de São Pedro do Sul e nem todos os familiares trabalham nesta autarquia.

...alguns trabalham na Termalistur!

30.12.14

Transferência da água das Juntas para a Câmara provoca fractura no PSD sampedrense
FIM DE ANO EM BELEZA PARA VÍTOR FIGUEIREDO
A transferência da água domiciliária das Juntas de Freguesia para a Câmara Municipal acabou por proporcionar politicamente a Vítor Figueiredo um fim de ano em beleza. Ao contrário, o PSD, com os Presidentes de Junta divididos e Vereadores para um lado e bancada da Assembleia para outro, fechou o ano político da pior maneira. Uma manifesta demonstração de descoordenação política que o executivo socialista soube aproveitar da melhor maneira. 

A aprovação por unanimidade na última reunião camarária da transferência da água para a Câmara, sem o aval das respectivas Juntas, provocou descontentamento nos Presidentes do PSD de Santa Cruz da Trapa, Carvalhais e Sul. A proposta seguiu para aprovação da Assembleia Municipal realizada na passada segunda-feira e aguardava-se com curiosidade qual seria a posição da bancada social-democrata. Se votaria favoravelmente a transferência, seguindo a posição dos Vereadores, ou se votaria contra,  ao lado dos Presidentes de Junta.

Para agravar a situação, Vítor Figueiredo aproveitou os últimos dias para dividir os Presidentes das Juntas em causa. Negociou as contrapartidas directamente com Carvalhais e Santa Cruz da Trapa, isolando o Presidente da Junta de Sul. Chegada a votação na Assembleia, o cenário foi ainda mais negro para o PSD. Os Presidentes de Carvalhais e Santa Cruz da Trapa votaram a favor
ao lado do PS, tal como o haviam feito os Vereadores, e a bancada PSD votou contra, ao lado do Presidente de Sul.

Bem pode Vítor Figueiredo queixar-se das adversidades.

...só não pode queixar-se do adversário!

29.12.14

Daniel Martins critica a publicação fotográfica da "visita aos hospitais" de Vítor Figueiredo
NÃO HAVIA NECESSIDADE
Na crónica de hoje na Lafões, Daniel Martins não poupa na análise da visita do Presidente da Câmara de São Pedro do Sul aos "utentes" do Hospital de S. Teotónio, em Viseu. Vítor Figueiredo, que se fez acompanhar do Chefe de Gabinete, e respectivo fotógrafo, não dispensou a publicação das respectivas fotos na página do Facebook da Câmara, sujeitando os ditos "utentes" a aparecerem visivelmente identificados na foto. Uma situação caricata e abusiva que levou Daniel Martins a apelar ao decoro, ao  recato e ao respeito, concluindo à laia de uma conhecida personagem de Herman José: "Não havia necessidade!"

O cronista, que chega a admitir os poderes curativos do gabinete do Presidente, questiona se tal visita deveria ser partilhada nas redes sociais ou, pelo contrário, deveria ficar na esfera pessoal de quem visita, mesmo que desempenhe um cargo institucional. Afirma que há limites intransponíveis, como seja a privacidade dos munícipes, ainda para mais quando estão na situação de especiais cuidados. Como refere o cronista:

...não havia mesmo necessidade!

26.12.14

Transferência da água das Freguesias para a Câmara decidida em reunião pública
APROVAÇÃO DA PROPOSTA POR UNANIMIDADE SURPREENDEU JUNTAS PSD
O conflito na transferência do abastecimento público de água ao domicílio entre as Juntas e a Câmara de São Pedro do Sul arrasta-se há quase um ano. As duas partes não se entendem quanto ao montante das compensações pelos investimentos realizados pelas freguesias nas redes de água ao longo do tempo. Santa Cruz da Trapa, Carvalhais e Sul, três Juntas do PSD, têm liderado a contestação. Pindelo dos Milagres é a única freguesia do PS que se encontra nestas condições. As reuniões até agora realizadas com a autarquia sampedrense foram inconclusivas e terminaram sempre com a ameaça de recurso ao tribunal.

Na última reunião pública de Câmara realizada no início da passada semana foi apresentado pelo vereador do pelouro, Francisco Matos, um documento que prevê a passagem imediata da exploração da rede de água domiciliária das Juntas de Freguesia para a autarquia, o qual foi aprovado. As Juntas do PSD visadas na deliberação foram apanhadas de surpresa. Ainda mais por a proposta ter sido aprovada por unanimidade. Esta decisão unilateral, à revelia da vontade dos Presidentes de Junta, seguirá para aprovação da Assembleia Municipal, na próxima segunda-feira. O executivo tem maioria, o que lhe permite fazer passar a proposta com facilidade. Resta saber qual a posição da  bancada PSD e qual será a reacção dos Presidentes das Freguesias em causa. Ou se, em alternativa,  será utilizada a fórmula tradicional:
 
Retirar o ponto e "chutar para canto"

22.12.14

O piscar de olhos de Vítor Figueiredo
DANIEL MARTINS NÃO ESQUECE PRENDA DE NATAL PARA O PRESIDENTE

Sem nunca referir o seu nome, a crónica natalícia de Daniel Martins na Lafões vai directa a Vítor Figueiredo e à sua curta mensagem de Natal, que classifica de improviso preparado, ou mal preparado. O teleponto colocado de esguelha levou o Presidente da Câmara de São Pedro do Sul a uma esforçada e permanente troca de olhos durante a leitura da mensagem. Daniel Martins classifica o gesto como piscar de olhos e refere mesmo que, não fosse a autoconfiança na sua condição de género, atrever-se-ia a dizer que aquele entortar de olhos subtil seria quase sexy. O que seria ainda mais desagradável - dizemos nós!

Termina desejando bom Natal, sem piscadelas de olhos ou trejeitos labiais, mas não desvenda a quem se dirigiria o piscar de olhos do Presidente. Será que a dita piscadela não era para o próprio?

Politicamente... Claro!

19.12.14

Câmara inicia montagem da iluminação... deste Natal
VAI-SE A QUADRA DE NATAL
VIVA A QUADRA DE REIS
A cinco dias do Natal, a autarquia sampedrense iniciou a montagem da tradicional iluminação natalícia nas ruas da cidade de São Pedro do Sul. O motivo é simples. Seguindo a tradição dos nossos vizinhos espanhóis, o verdadeiro Natal é no dia de Reis e por isso vai muito a tempo. Sendo a quadra de Natal mais longa, festejar em alternativa a quadra de Reis garante desde logo uma significativa poupança em energia eléctrica. Em tempo de crise é preciso pensar em tudo e esta é uma opção de longe mais económica.

Por outro lado, evita a concorrência com a vizinha Vouzela, que se afirma como Vila Natal. E, se já temos uma Vila Natal na região, porque não São Pedro do Sul afirmar-se como Cidade dos Reis?

Haja imaginação!
Rui Costa
“Lafões: História e Património”